quarta-feira, 16 de junho de 2010

As pedras - A saga (parte 1)

Então queridas criaturas que visitam este humilde blog...

Faz um bom tempo que ando reclamando (e como eu reclamo!!!) da escassez de tempo e assunto pra comentar aqui. Admito que assunto sempre tem. O problema, boa parte das vezes, é o ânimo e a pseudocriatividade da pessoa que vos escreve. O que vem a seguir é um relato verídico:

Era uma bela tarde de domingo, lá estava eu na comemoração do primeiro ano do meu afilhado. Festinha de família é sempre divertido, todo mundo rindo, clima relax, comidinhas deliciosas... Depois de devorar algumas empadinhas e negrinhos, sinto uma indisposição... o bolo já nem me anima mais... Que milagre, logo eu (formiga atômica) não consegui dar conta de uma fatiazinha de bolo... "Devo ter exagerado na comilança", logo penso. Peço pra ir pra casa mais cedo.
Durante a ida pra casa, a cada quebra mola e irregularidade no asfalto, sinto uma dor terrível no estômago. Parecia que tinha uma bola de boliche dentro da minha barriga. Maldita bola!!!! Ela apertava as minhas pobres tripinhas...

Uma vez em casa, pensei que não haveria de ser nada... Uma boa noite de sono e um chazinho de mãe resolveria...

(Parênteses) Há cerca de 6 meses vinha sofrendo com estas crises: dores abdominais e vômitos... Me dirigia a um consultório médicos e tudo o que os caras de jaleco branco me diziam era que deveria ser de "fundo emocional"...
- Mas doutor, não é melhor fazer algum exame pra ver se está tudo bem?
- Não precisa não... Toma Plasil, Buscopan e Paracetamol e pode ir trabalhar!
- :-/

Voltando... a noite de sono tranquila não ocorreu... Além da dor que não permitia que eu me virasse na cama, ficava correndo da cama pro banheiro e do banheio pra cama... Em alguma horas tinha esvaziado completamente meu estômago...

Logo pela manhã me dirigi ao médico e praticamente exigi daquele velho exames decentes pra descobrir o que estava acontecendo comigo. A dor só ia aumentando e a cada lugar que eu entrava vinha uma criatura e apertava me corpinho justamente no lugar que estava latejando de tanta dor... Na hora eu pensava "FILHO DA P....!", mas respirava fundo e aguentava mais um pouco.

No final do dia,  finalmente uma resposta: eu estava pedras na vesícula e algumas delas migraram para o colédoco. O que é colédoco? Eu também não sabia, mas dói pra caraaamba, tche!

O pior é ter que ouvir do médico: "Ahhhh, então é por isso que ela estava com tanta dor..."

Sério, gente, precisa de diploma pra isso?

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Em tratamento

Pessoas... esta última semana foi muito louca e as coisas ainda continuam meio estranhas. Enquanto não arranjo tempo pra contar com a devida dedicação os últimos acontecimentos, posto um clipezinho. Este me ajuda a extravasar a raiva e a frustração... Boa semana!!!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

So tired of being here...



Ando cansada... Não se trata de um cansaço 'normal', daqueles que se curam com um feriadinho no meio da semana ou com uma belo final de semana. Ando cansada da vida... É como dizem, o que se leva desta vida é a vida é que se leva... Pois bem, com meus recém completos 24 anos de vida me sinto uma jovem amargurada. Pode parecer cômico ou exagero, eu sei...
Mas ando cansada de ter que fingir estar satisfeita, animada, alegre... Cansada de ter que tentar suprir expectativas alheias e deixar meus objetivos, ideias e desejos de lado. Farta de cruzar diariamente com pessoas sem rosto.
Ouço vozes que não transmitem mensagem alguma...
Caminhando não sei pra onde, digo aos que estão surdos: não, eu não estou feliz!